quarta-feira, 10 de outubro de 2012

função






essa é minha função na história,
acabar com a rima

ou, quem sabe,
ser apenas rima


       cada livro de história

terça-feira, 16 de agosto de 2011

sem título

sinta sinta sinta sinta!
ah! que pensar!
é pensar só de dentro!
sentir um pouco do vento desesperado que corre raivoso pelo rosto

totalmente, plenamente, completamente
sem o medo do receio
que qualquer conclusão já é sem tempo

e sinta logo que já venta a cinco andares

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

do movimento próprio


quanto de todaquela metáfora desaforada de cada falador engraçado que me cruza..
não quero nada que venha dessas bocas secas e dessas palavras encaixadas em harmonias duras
tá escondido o que se coloca de si
ah..
dez letras sem gosto de nada! nem de papel nem de tinta
quantas mais ainda saem desses dedos alienados do escrever...
de mim sai: nada

sexta-feira, 29 de julho de 2011

trabalho

que só pensa como uma máquina de escrever pensa
escrevendo vai pensando que nem máquina
não é papel, nem pena, nem máquina
pensa

sexta-feira, 22 de abril de 2011

praavlas

se pseno que cdaa pvralaa já etsá snicfigiada
tabrahlo, pvoo, crtoe, etsdao, sejutio, invdidíuo, csaa, trcoa, maecrdo, liredbdae, parezr, aomr, sxeo, sxulaieadde
sei que pesnei deamis, praalém de mim
vtloo ao meu self
me dendfeo duqilao que não sou eu
e cdaa pavlara é nvoa praquilo que eu intnvear

se isso não é liuaggenm, que se dusrtaem as plaaravs!

quinta-feira, 14 de abril de 2011

poesia

já passei tempo demais pensando um verso.desisti. não escrevo mais.
nenhuma poesia
de momento algum
é maior do que a incapacidade de ler.
e logo mais já não haverá poesia nenhuma.

a cada palavra já perdi aquilo que era

recomeç