domingo, 28 de março de 2010

adrenalina

[receber emoção não depende de alguém experiente naquilo que faz
mas sim de acompanhar aquele que] desconhece como
como

minha garota
me pedindo carona
eu nesta moto
que não sei guiar

só sei a soma morta
morta

masomedoemminhasentranhas devora o medo a morte a garota a moto a vida o dia
e vomita medo
e vomita cedo
e vomita meu e seu
e vomita eu
digerido, digirindo
não me lembro do farol as cores e só espero o crash

segunda-feira, 22 de março de 2010

fade in, scram

abro meus olhos e não reconnheço a janela
o ar depois dela, nem mesmo sei aquilo que vem depois
não quero que vente, só querO que sou
fechO que posso
20 dedos
1 pinto
2 metades de nariz
pés, pernas, coxas, bundas, barriga, costas, peito, mamilos, ombros, braços, mãos, 20 unhas

fecho os olhos
pêlo, pele, porra
doce, azedo, salgado
suave, áspero, seco
cheiro, cheiros

fechO que posso
sou nada
sou todo novo, recém feito

paro que o que serei vem junto à brisa e os raios queimantes

domingo, 21 de março de 2010

furei o bucho do céu

e seu sangue azul
ao passar pela carne pulsante dum homem
se transforma
se torna
se forma verde
verde: de musgo, terra
de cura de toda aquela imensidão
calmaria infinita
daquela paz
curado. sangue esverdeado
pela matéria humana primitiva
pensante de si
errante
vermelha

domingo, 14 de março de 2010

gramática

se um dia ela muda eu tô ferrado
porque daí eu aprendi ou foi tudo decorado



mas, me permitindo dizer,eu consigo me entender

terça-feira, 2 de março de 2010

porenquanto

tranquilo
como que nunca me preocupei com coisa alguma
e só existe eu
só elogio o espelho
e só transo comigo

até que bateram na porta.

segunda-feira, 1 de março de 2010

caminhada

Não sei se sou eu ou são os outros
mas toda vez que passo na rua
é um mendigo diferente

não lembro se é

isso mesmo